ROSESGUIDE

ROSESGUIDE
MI WEB

miércoles, 16 de abril de 2008

CATALUNHA / BARCELONA


Catalunha, situada ao nordeste da península ibérica, tem uma superfície de 32.000 km2 e uma população de uns 6.000.000 de habitantes. A história, a língua e uma tradição cultural, política e jurídica diferenciada configuraram a personalidade do país e de sua gente. Atualmente forma uma comunidade autônoma dentro de Espanha, com uma instituição própria de governo que é a Generalitat. Seu território apresenta paisagens muito variadas e de grande beleza, e contém um rico patrimônio monumental.
Os Pirineos catalães, com bicos de 3.000 m, marcam a zona setentrional do país e são um lugar ideal para o esquí, o excursionismo, a caça ou a pesca, enquanto os 580 km de costa mediterrânea -onde se alternam os altos alcantilados e as calas recoletas da Costa Brava e de Garraf, as longas praias arenosas da Costa do Maresme ou da Costa Dourada e o mundo insólito do Delta do Ebro- são um paraíso para os amantes dos esportes náuticos.
No interior encontramos populações de caráter -Lleida, Girona, Tortosa, Vic e tantas outras-, com magníficos monumentos.
Barcelona, capital cosmopolita, com uma dinâmica vida cultural, comercial e desportiva, é para o turista uma das cidades mais atraentes do Mediterrâneo. Todos esses elementos, aos que cabe adicionar uma sólida gastronomia, uma grande capacidade de acolhida e uns excelentes equipamentos, convertem a Catalunha numa das primeiras regiões turísticas de Europa.

O turismo português em Barcelona cresceu um 30 por cento no ano 2006 graças às companhias de baixo custo que potenciaram a conexão Lisboa-Barcelona com preços muito exeqüíveis. Segundo explicou na capital lusa o diretor geral de Turismo de Barcelona, Pere Duram, "este ano esperamos crescer outro 30 por cento". Destaca também o fato de que os portugueses aumentaram um 50 por cento o gasto com cartões de crédito.

Portugal faz parte do "top tem" dos países que mais turistas contribuem à capital catalã. Em concreto, o 1,5% dos 7,1 milhões de pessoas que visitaram Barcelona em 2006 são portugueses. Às autoridades barcelonesas não lhes passou despercebida a notável subida experimentada nos últimos dois anos e, por isso, uma delegação de Turismo de Barcelona visitou estes dias Lisboa e Porto "para agradecer aos portugueses sua fidelidade e para dar suporte a Clickair", ressalta Pere Duram. Esta companhia de baixo custo, ao igual que Vueling, conseguiu dinamizar o mercado aéreo, de forma que o dinheiro que os turistas se poupam no bilhete, gastam-no em gastronomia ou compras". Ambas companhias lançam frequentes promoções e é possível comprar os bilhetes de ida e volta a partir de 20 euros.

Os meses de verão, bem como outubro e novembro, com muitos feriados, são as datas preferidas pelos portugueses para visitar Barcelona. Tal e como explica Pere Duram, "o turista português consome muito, passa em media duas noites na cidade, e se divide ao 50 por cento entre o turista de negócios e o de férias". A idade média oscila entre os 35 e os 45 anos, e vão muitos casais jovens. Depois da experiência do Ano Gaudí, Barcelona celebrará -de outono de 2008 a outono de 2009- o ano da Arquitetura. Segundo avançou Pere Duram, trata-se de uma iniciativa que permitirá abrir ao público edifícios e casas emblemáticas da cidade, modernistas, medievais... Também se organizarão conferências e eventos. Um atrativo mais para seguir atraindo aos portugueses. Foi tal o incremento do turismo luso na capital catalã que está praticamente nivelado com o turismo barcelonês que visita Portugal.


lunes, 14 de abril de 2008

OGE


Os universitários de Organização e Gestão de Empresas (OGE) temos ante nós, quiçá, o repto maior de nossa formação empresarial: transformar-nos acadêmica e administrativamente, pára desde nosso interior, criar este trabalho e o estudo pertinente do mesmo e para a consecução de nosso tão merecido sonho: o poder destacar e fazer o melhor projeto de nossa promoção.

Para este fim, as autoridades acadêmicas das instituições desta matéria, realizaram reuniões de alto nível com nosso líder que culminaram com a elaboração e apresentação de um documento que contém uma proposta –não acabada− com relação à filosofia (missão, visão, objetivos, princípios e valores), concepção teórica que orientará os desenhos, cujo fundamento é o enfoque humanista-social, bases e fundamentos da matéria (postulados e visões prospectivas, princípios orientadores, bases legais e regulamentos da criação de empresa, modelo e estrutura).

Este documento deve continuar sendo analisado, reformulado, aperfeiçoado, e já na prática, avaliado em sua concretização. Poderíamos dizer que ele se constitui num Projeto Reitor ao que há que conferir permanentemente para poder continuar avançando na construção da empresa que precisamos construir.

Esta foi uma primeira etapa ou fase do trabalho, sobre a qual devemos avançar mediante um processo em espiral que nos permita aprofundar na avaliação empresarial a fim de evidenciar as fortalezas e debilidades acadêmicas para trabalhar sobre elas. Exige-se um esforço de todos nós: estudantes, dirigido a organizar-se, revisar e programar. Estas etapas devem cumprir-se em poucos meses de duração da matéria, ao cabo dos quais estaremos em capacidade de tomar as decisões pertinentes.